Qual a história por trás da foto do Lula com boné do Hip Hop?

O Hip Hop por meio dos pilares que o compõem se firmou ao longo das últimas décadas nos locais em que foi criado como uma prática que ultrapassa as finalidades artísticas. Por meio do graffiti, do breaking e da música, os territórios periféricos se articulam para o avanço de políticas públicas. Nomes importantes do movimento usam sua influência para levantar e apoiar questões sociais fundamentais para a sobrevivência da população. Podemos pegar como exemplo o envolvimento de nomes importantes do rap nacional na campanha presidencial de 2022.

O presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, tomou posse no dia 1º de janeiro de 2023, mas vamos voltar para a campanha de 1998, quando perdeu para o reeleito Fernando Henrique Cardoso, o político se aproximou do Hip Hop. Houve, por exemplo, um encontro na casa de Gil que reuniu Djavan, Caetano Veloso, MV Bill e Celso Athayde. No dia 18 de agosto do mesmo ano no palco do evento Hip Hop Juventude e Lula, Mano Brown fez a seguinte declaração: “Se você está contente com o que está acontecendo, uma pá de mano desempregado, as cadeias tudo lotada, faculdade só para rico, escola tudo zuada, tudo quebrada, sem professor.. se você estiver contente com isso aí continua votando no playboy que está lá em cima. Quem está descontente vai votar nesse cara aqui”, se referindo a Lula.

E é  nesse contexto que volta e meia  a internet ressuscita uma foto do Lula usando um boné escrito Hip Hop.

Mas e aí, você sabe qual a história por trás dessa imagem?

A foto foi tirada no Palácio do Planalto, em Brasília, no dia 25 de março de 2004, quando o Presidente Lula recebeu representantes do Hip Hop. A imagem geralmente aparece cortada, apenas com o rosto de Lula, mas estavam presentes KL Jay, MV Bill, Rappin Hood, GOG (ver se alguém consegue me ajudar a identificar os outros nomes) e o então Ministro da Cultura, Gilberto Gil. Na ocasião, o grupo entregou a Lula uma lista de pedidos e solicitou ao governo autorização para a ocupação de prédios públicos desativados por grupos de Hip Hop.

Em entrevista ao Estadão o rapper MV Bill compartilhou: “Só o fato de o Lula ter reconhecido o Hip Hop antes mesmo de ser presidente já criou uma relação com a gente”.

Pela primeira vez representantes do rap nacional foram recebidos pelo Presidente da República, o político fez a seguinte declaração: “Sou parceiro, estou com o Hip Hop na cabeça”. Desde que entrou na vida política, o ex-líder sindical defende ideias que se aproximam da ideologia do Hip Hop, como redução da desigualdade social, acesso à saúde, ampliação da educação gratuita e fome zero.

Apesar dessa afinidade, em sua biografia, MV Bill conta em sua biografia que no dia da visita da comitiva de integrantes do Hip Hop ao Planalto o clima foi tenso, houve conflitos e uma percepção de que o então Ministro da Cultura, Gilberto Gil, não os queria lá. “Estávamos lá para fazer pedidos para projetos sociais, não para apoiar partidos”, explica. Ele também conta que foram acompanhados por uma mulher de pele clara desde o momento em que chegaram para a reunião com o Presidente até a hora de ir embora”, narra MV Bill.

Ainda que a aproximação com a esquerda e com Lula seja uma realidade, o Hip Hop não deixou de se posicionar de forma crítica diante do sistema. Exemplo disso foi o discurso que Brown fez em 2018, às vésperas do 2º turno da eleição presencial. “Se nós somos o Partido dos Trabalhadores, o partido do povo, nós temos que entender o que o povo quer. Se não sabe, volta para a base e vai procurar saber”, avaliou o rapper na época.

Compartilhe nas suas redes sociais

Share on facebook
Share on twitter

Somos veículo de revolução